quarta-feira, 8 de dezembro de 2004

Educar: em casa ou na rua???

Situação Problema
Você está parada na fila do caixa do supermercado, horário de pico, dia de promoção de leite e cerveja (lotado).
A menor fila que você encontrou pela frente tinha 3 carrinhos (cheios) antes de você.
Pára na sua traseira um casal com um filho (de +/- 3 anos) aos berros.
Eles batem na sua canela com o carrinho, já começou mal.
Continuam batendo o carrinho na sua bunda. Você se esquiva.
O mau humor vai tomando conta de você, e aquela criança não pára de berrar.
O pai e a mãe começam a explicar para a criança que ela não vai sair do colo.
Ele quer ir brincar no "Cantinho da Criança" do mercado (que está bem diante dos seus olhos, o caixa escolhido pelos pais não podia ter sido pior).
O pai diz que não, agora não, pq ele ofereceu antes e o menino não quis. Agora não é hora.
O menino berra, mas berra, berra tanto que seus ouvidos já estão a ponto de desgrudarem da cabeça e saírem correndo.
O pai, impassível, começa a falar mais alto, tentando se explicar para TODOS que olhavam pra ele suplicando para calarem a boca daquele menino.
O pai diz: "você fez bagunça no mercado, agora vai ficar no colo".
A mãe concorda: "não adianta olhar pra mim, vc vai ficar aí no colo do papai".
O menino continua azucrinado, buáaááá, aaaaaaa, buáááá...
Quanto fôlego daquele pequeno, como é que eles conseguem chorar com tanta força por tanto tempo ???
Vinte minutos depois (isso é um tempo gigante numa fila) chega a sua vez.
Você começa a tirar as compras do carrinho e pensa... "pronto, tá acabando"
Não, não está... a bobina acaba, é hora de trocar o turno do caixa, e um produto que você pegou tá sem preço.
O menino CONTINUA berrando, dá pra acreditar ???
Agora, os clientes todos já estão ficando passados com aquele casal, que nada faz para que o menino pare de berrar.
Você finalmente consegue sair de lá, depois de uns 40 minutos, vai para o carro e começar a refletir...

Onde é que devemos educar nossos filhos ??? Em casa ou na rua ???

Essa história aconteceu comigo, e como sou mãe de duas meninas, sendo que uma delas apronta todas em lugares públicos, sei que às vezes é difícil controlar uma situação.
Mas eu sou tão preocupada com os outros, que acabo muitas vezes pecando na educação, ou seja, eu dou um jeito de incomodar o mínimo possível as pessoas que não tem nada com a história.
No caso do mercado, o que eu teria feito seria o seguinte: já que estavam juntos, pai e mãe, um dos dois que pegasse o filho e levasse para bem longe da muvuca. Tirasse o menino da frente do tal "cantinho da criança", levasse pra passear, ver uma vitrine, ou trancasse o menino no carro, se fosse o caso, mas nós, que não fazemos parte da educação daquela criança, não temos que passar por essas coisas.
É assim que eu penso, é assim que eu faço.

Não me agrada ver crianças num restaurante, por exemplo, berrando, fazendo escândalo, enquanto os pais continuam bem belos, sentados, tomando suas caipirinhas e ignorando o fato de que o filho está incomodando os outros.
Educar na rua é uma missão difícil, pois em casa é diferente, uma birra pode ser tratada de forma diferente.
Tem coisa mais horrível que ver uma mãe, ou um pai, brigando e até batendo numa criança de 2 ou 3 anos??
Às vezes dá vontade, eu sei, de beliscar, fazer calar a boca na marra, mas não é diante de um grande público que isso vai funcionar.
Pelo contrário, pode até deixar a criança mais brava ainda.

A Carolina já deu show em restaurante, estávamos no final da refeição (que para pais de bom senso, não dura mais que 40min) de repente um comentário da mesa ao lado: "lá vem aquela polaquinha gritona de novo"
Poxa, que chato ouvir isso. Tudo que ela queria era descer da cadeirinha, e começou a berrar.
Assim que colocamos ela no chão, ela parou.
Erramos ??? Cedemos à vontade da pequena, e com isso perdemos nossa autoridade de pais???
Por causa disso ela vai se tornar uma criança ditadora, rebelde, que vai sempre fazer o que quer???
Acho que pra tudo existe bom senso, infelizmente se queremos ir ao mercado, a festas, restaurantes, devemos estar cientes de que "abrir algumas exceções" fará parte do nosso passeio.
Pra que??? Pra livrar as pessoas de situações constrangedoras, e eu diria até, chatas?? Ou pra utilizar essas situações a fim de educar nossos filhos???

Pra mim existe uma grande diferença entre uma criança mal educada e uma criança com personalidade forte (os famosos pimentinhas).
Cabe aos pais saber a melhor forma de agir nas diversas situações que passamos com nossos pequenos.
Só não acho certa a educação comunitária... em que a sociedade "participa" dos shows, sem pagar ingresso, e às vezes contra a própria vontade.      

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...