sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Empregadas - PQP, sem comentários...

Não é segredo para ninguém que minha vida sempre foi uma loucura, justamente por isso criei esse blog, baseada em minhas próprias histórias eu sei que sempre terei algo para escrever.
 
Só que a coisa tá ficando repetitiva quando o assunto é empregada. PQP. Como é difícil !!!!!
 
Primeiro ponto é que não sou rica, não tenho dinheiro sobrando e empregada pra mim não é luxo, é necessidade, infelizmente. É.... infelizmente mesmo. Uma gorda fatia do meu magro salário vai para o governo e outra gorda fatia para a empregada. Fico pensando se eu colocasse mensalmente na poupança o valor que desembolso com elas, penso que trocaria de carro mais facilmente, em menos de 2 anos estaria com a minha casa quitada, ou então viveria menos afogada e deixaria de ser a rainha dos carnês para ser apenas uma princesinha dos carnês.
 
Eu trabalho praticamente 17 horas por dia, entre meu emprego fixo e meu negócio próprio, tempo para lavar, passar e lustrar realmente eu não tenho. Mas até aí tudo bem, uma diarista resolveria o problema. A questão é que PRECISO de alguém para auxiliar minha mãe (que já não é mais uma mocinha e por sinal anda cheia de problemas de saúde) nos cuidados que envolvem almoço e minhas filhas. Diariamente minha mãe se desloca até minha casa (agora a Dona Lira mora mais longe, mudou-se daqui da favela e foi morar em bairro chique de novo, mas isso é coisa pra outro post), continuando... ela se desloca para fazer almoço e cuidar das meninas até que o transporte escolar passe para levá-las à escola. Feito isso minha mãe volta pra casa dela, e a empregada recompõe a casa do furacão diário que passa por aqui e destrói tudo em menos de 3 horas.
 
De 2003 até hoje são 14 nomes na lista... fora aquelas que ficaram menos de 2 dias trabalhando aqui e eu nem anotei o nome... hehehehehe.... em compensação, durante 3 anos tivemos 3 empregadas, pouca rotatividade,  e nos outros 2 anos rodaram por aqui outras 11 ou mais candidatas à empregada padrão.
 
Sempre evitei falar sobre isso no blog, mesmo porque eu tive uma empregada cuja filha lia o meu blog, e a maioria delas sempre foi indicada por alguém que eu conheço, esposa de um, filha de outra, enfim... questão de ética.
 
Mas f*o*d*a-se... vou botar a boca no trombone porque estou revoltada com essa classe de trabalhadoras. CANSEI !!!!
 
Sem dar nome aos bois, como se diz, já aconteceram as coisas mais absurdas nessa casa, até as mais comuns, é claro, mas que a gente sempre acha que não vai acontecer com a gente. Vejam alguns exemplos:
 
- Uma delas fez em meu nome uma assinatura do BR Turbo da Brasiltelecom, é... ligaram pra oferecer o serviço, e ela aceitou. Como confirmou meu CPF, só Deus sabe (e ela). Isso foi algo ABSURDO.

- Desaparecimento de coisas estranhas, que seria até inapropriado publicar isso, mas fiquei estarrecida quando me dei conta, até certo ponto envergonhada em comentar com alguém da família, mas f*o*d*a-se... tô revoltada e vou contar que eu tinha guardado há muito tempo um objeto, digamos que adquirido num sexshop, e estava guardado numa caixa, dentro de uma sacola, dentro de outra sacola e dentro de outra sacola... enfim... levaram meu objeto erótico, surrupiaram... e não faço idéia quem tenha sido, pois aquilo estava guardado há muito tempo. Isso foi algo ABSURDAMENTE ABSURDO.

- Sabe quando a gente pega álbum de foto pra ver... olha uma foto, outra foto, repara nas roupas... PQP, cadê meu moletom que paguei uma fortuna e que usei menos de 5 vezes ???? Sumiu, sem deixar rastro. Isso até que foi algo COMUM.
- Casa com criança possui itens do tipo: Danoninho, suquinho, lasanha da Turma da Mônica, bolinho do Monstros S/A, enfim, imaginem uma linha de produtos destinada à CRIANÇAS. Seria necessário comunicar que tais itens são de uso infantil ? Haveria necessidade de etiquetas e bilhetes informando "Para uso exclusivo de menores de 6 anos"?? Acho que não... mas... em alguns casos a briga foi feia, só faltou a Carol sair no tapa brigando pelo último Danoninho na geladeira. Isso é ABSURDO.
 
- Uso de telefone então... viva a tecnologia... e eu sempre fui ligada nela, graças a Deus, ou do contrário estaria pagando pulsos da Brasiltelecom para fulanas resolverem problemas da irmã do cunhado do sogro do noivo da vizinha. Isso é COMUM para quem não tem identificador de chamadas e controle das ligações. Fui obrigada a aderir aos controles, e informar que não ofereço benefícios do tipo "Vale Telefonemas".
- Agora, vale refeição eu deveria oferecer para algumas, liberar horário de almoço que empregada doméstica não tem direito, e mandar almoçar nos restaurantes da redondeza. PQP...minha mãe faz bastante comida, é até certo ponto exagera na quantidade, sempre sobra, mas o que já ficamos sem ter o que comer no jantar.... PQP novamente. Eu fico pensando no seguinte, lá onde eu trabalho não ganho café-da-manhã, pago 20% do valor do meu almoço, não tenho refrigerante à disposição, café à tarde, guloseimas, chocolate, sorvete, NADA... e assim é na maioria das empresas (exceto pelo café-da-manhã). Porque é que EU tenho que oferecer e deixar à disposição coisas que compro com sacrifício para ter alguns momentos de prazer ao saborear uma torta Miss Daisy, por exemplo. Já tiveram o descaramento de comer o último pedaço, aquele guardado para um momento especial, aquele que fiquei dias pensando no momento de saboreá-lo e dei com a cara no gelo quando fui pegar na geladeira. Isso é ABSURDO. 
 
- Lavar pano de prato com meia e calcinha. Sem comentários. ABSURDO.
 
- Quebrar um objeto é algo comum, um descuido e tá lá um porta-retrato no lixo. Um esbarrão e tá lá um copo no lixo. Mas teve época que a quebra de copos foi intensa. E o engraçado da história ? Nem sequer houve comunicação dos fatos. Simplesmente o armário foi ficando vazio, a gente se dando conta "cadê o copo de florzinha?", e eu tive que compra uma dúzia de copos para repor a baixa. Acho que quebrar alguma coisa de vez em quando é COMUM, mas nesse caso foi ABSURDO a falta de comunicação do ocorrido.
 
 
Esse post ficou imenso, e poderia ficar ainda mais se eu continuasse com os itens, isso que nem conversei com a minha mãe para relembrar outros tantos absurdos. Acho que vou continuar com a série "Absurdos Domésticos" numa próxima oportunidade. E no momento estou sem empregada, precisando de outra, com urgência. Não acredito em papai noel, príncipe encantado e homem do saco, mas eu ainda tenho esperança em encontrar uma empregada doméstica responsável, séria e com bom senso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...