sábado, 12 de junho de 2004

Nome aos bois

Essa história de dar nomes aos filhos é interessante, a não ser aqueles casais apaixonados desde os 12 anos de idade, que juram que vão viver eternamente juntos, e que pensam tão igual que os nomes dos filhos já estão escolhidos desde sempre, e geralmente é nome composto, como os famosos Cleverson Alexandre ou Edileusa Aparecida....
Bom, hoje em dia não existe mais essas histórias, o povo casa porque a "mina" engravidou, casam por se sentirem muito sozinhos, casam por interesse ou casam por pressão de um dos lados.... (não pensem que eu acho o casamento uma instituição falida, não é isso... bom, o assunto é outro).
Daí começa um conflito muito sério. Mulher tem uma relação maior com os filhos, maternidade, gravidez, essa coisa toda... e desde pequena sempre brincou de boneca, e essas bonecas tinham nome... geralmente os nomes que a gente gostaria de dar aos futuros filhos. Homem não, homem não brinca de boneca, homem não precisa inventar nomes, nem brincar de casinha, então eu acho que é a mulher quem deve escolher o nome dos filhos. É claro que pode haver um consenso entre as partes, e é claro também que existem mulheres que não se importam com isso, por um motivo ou por outro.
Sendo assim, já que ficou nas mãos do meu irmão o poder de decidir o nome do meu futuro sobrinho, e já que ele não vai aceitar sugestões, não vou mais me meter nessa história !!!
Afinal, de que adianta nós, mulheres, escolhermos o nome dos nossos filhos desde os 6 anos de idade, se é o homem quem vai ao cartório registrar a criança, e lá ele pode fazer o que bem entender... é uma injustiça isso !!!

E por falar nesse assunto.... uma curiosidade:
Quando meu irmão estava para nascer minha mãe não sabia se seria menino ou menina, naquela época não existia ecografia.
O nome escolhido se fosse menina era pra ser ELUSA, pra combinar com ILANA. Por que Elusa ??? Podia ser Elisa, menos chocante.
Só sei que eu queria uma irmãzinha, pra brincar de boneca, pra eu enfeitar, enfim, não queria saber de meninos (inimigos) em casa.
No dia que fui visitar meu irmão na maternidade foi uma decepção (lembro direitinho até hoje, e eu tinha só 3 anos).
Entrei no hospital e me levaram até o local onde os bebês ficavam. Naquela sala tinha dois bebês dentro de duas encubadoras.
Um deles muito fofo, gordinho, cabeludo, bochechudo... lindo.
O outro magrinho, roxinho, careca.
Corri pro lado do gordinho, fiquei aliviada, era menino, mas pelo menos era bonito !!
Quando já estou começando a gostar da idéia, meu pai me comunica que meu irmão era o magrinho, roxinho e careca do lado.
Eu só gritei assim.... ESSE ELUSO !!!! E desapareci de lá.

Coisa de criança, né ??? Hoje meu irmão sabe que ele é o melhor irmão que eu tenho (pudera, é o único) !!!

Fê.... você sabe que eu te amo muito !!! Vê se capricha no nome tá ???

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...